Ferramentas de gestão: conheça as melhores para o Marketing Digital

As ferramentas de gestão são as queridinhas das pessoas que buscam por mais agilidade em seus processos de trabalho. Elas existem aos montes – felizmente! – e se adaptam aos diferentes ramos de negócios e, também, às diversas demandas de trabalho das empresas.

Nesse sentido, há ferramentas de gestão que funcionam melhor na rotina do Marketing, auxiliando no acompanhamento de projetos e na geração de resultados ainda mais positivos.

Para conhecer os objetivos das ferramentas de gestão e as melhores para utilizar no Marketing, é só dar sequência na leitura!

Qual a importância da gestão para o Marketing?

O conceito de gestão nasceu no berço empresarial e está intimamente ligado aos caminhos que são escolhidos para gerar os resultados desejados. E se tais resultados podem ser super variados, significa, também, que há diferentes versões de gestão: a de pessoas, a financeira, a empresarial e por aí vai.

Dessa forma, a importância da gestão se dá para os múltiplos departamentos de uma empresa. Isso porque é preciso gerenciar as estratégias de cada área para que, assim, exista um desenvolvimento constante.

No Marketing, por exemplo, a gestão mostra ao seu valor ao auxiliar em processos de criação de persona, de funil de vendas, de treinamentos de ferramentas da área, entre outros. Além do mais, ela também auxilia os CMOs a instruir o seu time de analistas de Marketing para que todos da equipe caminhem para o mesmo destino.

E o que é uma ferramenta de gestão?

As ferramentas de gestão surgem para aplicar o conceito nos departamentos de maneira mais dinâmica e inteligível para os colaboradores e líderes. Nesse sentido, elas costumam aparecer em forma de metodologias ou, então, de softwares. Na prática, a intenção é a mesma: facilitar a comunicação da equipe e agilizar a rotina e organização dos projetos e processos.

Aqui, vale o destaque para o segmento da tecnologia. É que, cada vez mais, criam-se softwares atualizados, com uso de inteligência artificial. Em muitos dos casos, eles permitem o armazenamento de histórico e de um banco de dados que, futuramente, podem ser úteis em tomadas de decisões. Ou seja: não que o famoso Excel não seja útil, mas as soluções modernas se destacam frente às tradicionais. 

Qual a finalidade das ferramentas de gestão?

Se as ferramentas de gestão auxiliam nos processos rotineiros de acompanhamento de tarefas, pode-se entender que a sua principal finalidade é, no fundo, melhorar o desempenho da equipe.

Ao otimizar os processos que colocam as estratégias em ação, libera-se tempo de todos. E, assim, sobra mais espaço para seguir na busca por soluções inovadoras e estrategicamente pensadas. Então, isso faz com que momentos de dúvida de não saber para onde ir se tornem cada vez menos frequentes.

Ah, menção importante! Para aproveitar ao máximo a finalidade das ferramentas de gestão, não basta apenas conhecê-las para depois abandoná-las. Portanto, após estudar aquela que seja de sua preferência (trazemos alguns exemplos no final deste texto!), é importante colocar em prática e incentivar o uso pelo resto da equipe.

Quais são as principais ferramentas de gestão para o Marketing?

Existe uma vasta gama de ferramentas de gestão por aí. Elas atendem às diversas necessidades de profissionais de múltiplas áreas, auxiliando todos a otimizarem seu tempo de trabalho, garantindo maior disponibilidade para outras demandas.

Nesse sentido, há algumas ferramentas de gestão que vem a calhar ainda mais se bem aplicadas nas rotinas de Marketing e Comunicação – confira a seguir!

Ciclo PDCA

O ciclo PDCA é um clássico da gestão, tendo sido criado na década de 1920, mas com popularização trinta anos após. Em inglês, ele significa Plan > Do > Check > Act, ou seja, Planejar > Fazer > Checar > Agir.

Utilizado inicialmente para a melhoria contínua da qualidade de produtos e serviços, hoje em dia o PDCA é amplamente utilizado pelas empresas, inclusive aquelas com caráter mais inovador, como as startups. Dessa forma, um dos principais pontos a favor da sua popularidade é sua fácil recorrência, afinal criam-se ciclos que podem entrar em um looping sem fim.

O principal objetivo do ciclo PDCA é conferir a efetividade de planos de ação, notando quais pontos eles podem ser aperfeiçoados para a conquista de resultados ainda melhores – por isso o termo “melhoria contínua”. Logo abaixo você confere a descrição de cada uma das etapas do ciclo PDCA:

  1. P – Plan – Planejar: definição dos objetivos do processo, desde a identificação da problemática em si até a criação do plano de ação de fato. Para a área do Marketing, uma das principais características desta etapa é, também, a escolha das métricas para avaliar o progresso.
  2. D – Do – Fazer: execução do plano de ação definido na etapa anterior, com atenção à coleta de dados que serão avaliados na sequência.
  3. C – Check – Checar: análise dos dados da etapa antecessora, avaliando se houve alguma falha ou, então, algum ponto que pode passar por uma melhoria.
  4. A – Act – Agir: comparação dos resultados obtidos com os objetivos demarcados na primeira etapa. Caso haja problemas na execução do plano, sugerem-se novas soluções para que, então, o ciclo ocorra novamente.

Business Model Canvas

O Business Model Canvas é uma ferramenta visual de gestão que ajuda as empresas a terem uma visão global da sua empresa, o que auxilia na criação de planos para atingir objetivos de negócios. O modelo Canvas surgiu em 2010, a partir da tese de doutorado do teórico da Administração Alex Osterwalder, que transformou-se no livro “Business Model Generation: Inovação em Modelos de Negócios”. 

Para auxiliar nessa ampla visão da empresa, o Canvas é dividido em alguns blocos essenciais, como mostramos na imagem abaixo:

Ferramentas de Gestão - Bussiness model canvas

Vale ressaltar, ainda, que esse modelo inovador inspirou diversas áreas por aí, indo além da gestão empresarial. O Canvas da Comunicação, por exemplo, é baseado no modelo Canvas original. Porém, ele é voltado a auxiliar os profissionais de Marketing a criarem o planejamento tático de comunicação de marcas, produtos, serviços, ideias, artistas, pessoas, entre outros.

Planejamento estratégico

O planejamento estratégico impõe-se como uma das principais ferramentas de gestão em empresas visto que, a partir dele, são pensados as formas de desenvolvimento e quais tarefas precisam acontecer para cumprir tais objetivos. Sendo assim, é uma forma de formalizar a estratégia para as equipes, o que torna a organização mais preparada para a busca de resultados e para enfrentamento de adversidades.

Com ele, analisa-se o ambiente interno e externo da empresa. Na parte da análise interna, entende-se o momento atual e o cenário almejado. Já na parte externa, existe a pesquisa se quais são as ameaças e oportunidades para as empresas.

Tal análise serve como base para um conceito muito especial, também, para o setor de Marketing: a definição dos norteadores estratégicos – propósito, missão, visão e valores. Tal conjunto de norteadores é muito utilizado, por exemplo, na definição da persona da marca, já que o seu entendimento auxilia a pensar que tipo de solução pode ser oferecida para a representação do cliente ideal.

KPIs (Indicadores)

Os KPIs (Key Performance Indicator) traduzem-se para indicadores-chave de desempenho de um negócio. Em outras palavras, é um recurso utilizado para acompanhar a performance de projetos em comparação aos seus objetivos iniciais. Assim, é possível perceber se ações desempenhadas estão indo ao encontro do que se deseja ou se, no caso contrário, é preciso haver algum desvio de tora.

Tais resultados fornecidos pelo KPI aparecem em forma das métricas, a sua dupla complementar. Ou seja, enquanto os KPIs são os fatores que observamos para acompanhar o trajeto rumo ao objetivo, as métricas tratam-se dos números e/ou porcentagens para monitorar tais andamentos.

Ferramentas de gestão - KPIs

Na hora de escolher os indicadores para seu projeto de Marketing, portanto, algumas dicas vêm a calhar. Por exemplo, opte por indicadores que sejam passíveis de verificação, com o intuito de garantir uma maior segurança nas futuras análises. 

Além disso, não se esqueça da máxima “menos é mais”: escolher muitos KPIs torna o processo confuso, então fique apenas com aqueles que são mais relevantes. Alguns exemplos de indicadores de Marketing importantes são o Custo de Aquisição de Clientes (CAC), a Taxa de Conversão e Retorno sobre Investimento (ROI).

CRM

Especialmente para a equipe de Vendas, que é parceira do departamento de Marketing, o CRM é uma ferramenta de gestão indispensável. Do inglês Customer Relationship Management, ou Gestão de Relacionamento com o Cliente, o CRM é um sistema que auxilia nos processos de comunicação entre a empresa e seus clientes.

Ferramentas de gestão - CRM

Dessa maneira, o seu objetivo é fornecer um bom atendimento aos consumidores para que se possa estreitar os laços de relacionamento até, enfim, chegar em uma fidelização. Além disso, o CRM também é precioso para armazenar dados sobre clientes e sobre os próprios produtos e serviços das marcas. Assim, fornece um rico material para futuras análises de melhorias.

Seja qual for a(s) sua(s) preferida(s), investir em ferramentas de gestão torna o dia a dia muito mais otimizado para todo mundo da equipe. O que se ganha em organização certamente se reflete em pessoas mais produtivas, com mais gosto de trazer soluções ótimas e inovadoras.

O Planejamento de Marketing Ágil é uma ferramenta que auxilia na gestão de Marketing das empresas

Faça o download gratuito do template!
Comentários
Share via
Copy link
Powered by Social Snap