Site | Otimifica INBOUNDPR

Quando eu publiquei este artigo, fui surpreendida por algumas conversas muito legais. Muita gente fez aquela pergunta de 1 milhão de dólares: “o que eu faço para virar um consultor? Que caminho trilhar?”

Esse tema é muito pertinente e está muito na minha cabeça porque a Otimifica está crescendo e estamos nos perguntando como multiplicar o nosso time de consultores. Até porque muita gente fala de *exponencial* hoje em dia, só que exponencial é a tecnologia, não as pessoas. Então, a nossa pergunta de 1 milhão de dólares é: quais os caminhos para o auto-desenvolvimento dos consultores que queremos?

Como empreendedores que entendem que chegaram ao modelo de negócios que queriam para este momento, um modelo que está testado e aprovado, o ponto de partida somos nós próprios – o que pesquisamos, estudamos e fazemos. Aqui, elenco alguns conhecimentos que considero serem chave para quem quer seguir uma carreira de consultor de marketing e comunicação no ambiente digital – e o que desenvolvemos para transformar a Otimifica em uma consultoria de sucesso:

Entender como fazer o funil de marketing, vendas e comunicação funcionarem em conjunto. 

Eles são uma coisa só e começam na mesma persona!

Aprender a relacionar e interpretar dados. 

Ler, estar por dentro de tendências, buscar artigos científicos, acompanhar pesquisadores que correlacionam informações diferentes são atitudes fundamentais para passar segurança para os clientes. Você vai ser questionado e precisa saber como responder qualquer pergunta relacionada a marketing contemporâneo.

Aprender mais sobre como funcionam as aplicações de tecnologia dentro das organizações.

Não basta entender de automação de marketing, de ferramentas de disparo de emails. Você precisa entender de CRM, de CMS, de programação, de soluções de ERP.

Precisa aprender a priorizar as soluções open source, para não cair no lugar errado no mundo de unicórnios dos SaaS (Software as a Service) e ficar preso a uma ferramenta para sempre.

Isso exige conhecer mais sobre hardware e software, conversar mais com desenvolvedores e designers de interface do que ter ideias criativas ao lado dos brilhantes profissionais de comunicação. Qualquer uma destas aplicações pode repercutir em prazo, qualidade e satisfação com produtos e serviços para os clientes do seu cliente. Dessa forma, essas questões podem impactar no trabalho de fornecedores de comunicação e marketing diretamente.

Além disso, para desenvolver este ponto específico, você precisa:

  1. Frequentar mais eventos técnicos, no on e no off, muitos deles gratuitos, inclusive, e menos Cannes e SxSW;
  2. Fazer mais cursos no Udemy sobre tecnologia, e menos sobre Redes Sociais;
  3. Ler mais livros técnicos, e menos auto-ajuda (e nada contra auto-ajuda! Só não ajuda neste ponto).

No início você vai achar chato; porém, quando os $$$ começarem a aparecer, você vai me agradecer por isso.

Pesquisar sobre ética no uso de dados. 

A privacidade é a grande preocupação do presente, mas as empresas sempre vão olhar primeiro para a privacidade dos seus próprios dados do que a forma como estes estão sendo usados.

Nesse sentido, se você pretende trabalhar de forma ética como consultor, você terá a obrigação de questionar e liderar reflexões sobre o assunto, pensando sempre nas pessoas relacionadas aos negócios e nos dados dessas pessoas que a sua empresa possui.

É lindo ouvir que a marca x vai apresentar publicidade com base nos batimentos cardíacos de quem está assistindo. Ou seria melhor dizer assustador?! Independente do seu julgamento, isso vai acontecer, vai impactar na vida das pessoas cujos dados são analisados e poderá impactar a reputação e bolso seus e da empresa no futuro.

Entender como levar diversidade e responsabilidade social para dentro dos seus projetos de consultoria. 

As empresas querem visibilidade, reputação e autoridade e, muitas vezes, usam as disciplinas e ferramentas que conduzem a estes resultados de forma equivocada.

Dessa forma, antes de criar ações ou campanhas, você precisa saber orientar o uso da voz da marca, avaliar o lugar de fala da organização e dos executivos e, só então, construir um posicionamento.

Um grande amigo construiu com a sua equipe uma ferramenta chamada Auto Diagnóstico da Diversidade, um dos temas mais emergentes quando o assunto é responsabilidade social. Vale dar uma verificada no da sua empresa! 😉

Por fim, ficar de olho no futuro. 

E o futuro não está aqui na sua volta e nem escrito em português. Para entender de tendências, você precisa ler o que se escreve lá fora – no mínimo em inglês – viajar mais e interagir em fóruns com pessoas de outros lugares.

Slack possui um número crescente de comunidades com pessoas de todo o mundo debatendo tecnologias, usos, formas de pensar e trazer todas essas ideias para o dia a dia. Se o inglês tá difícil, comece traduzindo letras de música, vendo filmes sem legenda, seguindo os professores de inglês e não só os influenciadores da moda.

Dicas? Carina FragozoMairo VergaraTim Explica e o Papa English (para quem optou pelo sotaque britânico ao invés do americano, como eu!) são excelentes.

Tempo ou dinheiro não são mais desculpas para não ter acesso a ideias diferentes e ao futuro, tudo isso está disponível gratuitamente – no Slack, no Youtube, ou no Google.

-> Se você gostou e se identificou com esse desafio, é hora de mandar o link atualizado do seu perfil no Linkedin e uma breve apresentação para a Otimifica. Nosso time vai escalar bastante nos próximos meses e precisa de Consultores como você. 😉

Texto publicado originalmente no Linkedin da Ariane Feijó

Comentários
Share via
Copy link
Powered by Social Snap