Nem on nem offline: a comunicação precisa ser all line. | Otimifica

Você certamente realiza diariamente projetos on e/ ou offline. Mas será que trabalha all line?

Há um conceito bastante equivocado na mentalidade digital, de que, para ser contemporâneo, é preciso estar online. É claro que, se considerarmos que cada vez mais pessoas acessam o Google antes mesmo de cogitar ler o jornal matinal, essa afirmativa torna-se vital para os negócios. Porém, nem sempre o público que precisamos atingir tem o mesmo comportamento – ou até acesso à internet.

”São as personas e não você, estrategista, que define onde o conteúdo precisa estar.”

Mas como trabalhar all line?

Usar recursos online ou offline é uma questão de estratégia, que está diretamente relacionada com a persona que desejamos que busque a informação que disponibilizamos.

Precisamos atingir a atenção máxima para as mensagens que compartilhamos e, para isso, temos que atuar all line, ou em todos os pontos de contato onde as personas podem passar. Por isso, no INBOUND PR, falamos tanto na importância de trabalhar de forma integrada as 4 mídias.

Dessa forma, o INBOUND PR acontece quando essas quatro mídias são combinadas e trabalham em sincronia.

O poder do olho no olho

O impacto de olhar no olho, de fazer contatos produtivos ao vivo e de desvirtualizar relacionamentos são os princípios da amplificação digital. Foi com inspiração neles, por sua vez, que as redes sociais digitais se desenvolveram. Princípios jamais devem ser esquecidos!

O off, portanto, deve ser pensado tanto para atingir as personas no máximo de pontos de contato, quanto para atingir personas que ainda têm hábitos tradicionais que se reduziram, mas continuam vivos – como ouvir rádio e ver TV.

Por isso, guarde estes pontos:

Uma mídia não necessariamente substitui a outra.

Assim como a TV não substituiu o rádio, mas transformou a sua programação, o online não substitui 100% o offline e, possivelmente, não foi criado para isso, mas para ser mais um meio. Hoje não há mais radionovelas, por exemplo, mas muita gente ainda busca música ou notícias no rádio para ir para o trabalho de manhã.

O olho no olho é imbatível.

Repare na quantidade de eventos, cursos e treinamentos offline que surgem diariamente no mundo. Perceba, também, o volume enorme de pessoas nos bares para o happy hour. Esses eventos e encontros podem até começar no online, mas é no offline que se consolidam ou escalam – e aqui tomo como exemplo a Todo Mundo Precisa de um RP e a RP School.

Anunciar é importante.

O próprio Google investe em campanhas de TV super legais. Caso ainda não tenha visto, confira esta campanha sobre o Google Play.

A publicidade não vai morrer.

Isso também gera uma outra reflexão: a publicidade nunca vai acabar. Logicamente, o modelo de grandes e lucrativas agências, como vemos hoje, está passando por uma imensa transformação. Mas o reforço de marca que a publicidade proporciona não vai morrer nunca. Até porque ele corresponde a uma das mídias do all line, a mídia paga. E, para uma estratégia funcionar, precisamos de todas as 4, sincronizadas.

Por isso, antes de pensar no meio (on ou off), pense nos objetivos do negócio que a sua mensagem vai comunicar e conecte-a com o comportamento das suas personas. O marketing e a comunicação precisam ir onde a persona está, e a persona está all line.

Comentários
Share via
Copy link
Powered by Social Snap